sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

1ª CAMINHADA E PEDALADA PELA QUALIDADE DE VIDA NO GUARÁ


Aluísio tinha um sonho:
Que seus alunos sentissem o mesmo prazer que ele sente aos sábados pela manhã, quando sai a pedalar por diferentes rumos e trilhas.
Desde o ano passado tentamos ajudar o Aluísio realizar seu sonho. O impecilho foi a PMm que não atendeu a solicitação de uma esconta na data planejada.
Como somos Brasileiros e não desistimos nunca planejamos fazer a pedalada junto com as professoras de Biologia, Denise e Cássia, no passeio ao Jardim Botânico, numa aula de campo.
Quem furou desta vez foi a regional que não consertou o caminhão que ira levar as bicicletas até o Jardim Botânico.
Aí conhecemos o Robson, educador ambiental, na luta pela preservação do Parque Ecológico do Guará.
Desta parceria con seguimos finalmente realizar a 1ª Caminhada e Pedalada pela qualidade de vida.
Depois da concentração e alongamente em frente ao GG saímos em direção ao Parque.
Um grupo caminhado e outro pedalando.
O grupo da pedalada por ter feito um percurso mais longo chegou depois.
Após um lanche gentilmente cedido pelo Rotary Club, e uma explanação sobre a problemática ambiental em relação a especulação imóbiliária e interesses políticos que contrariam a preservação ddaquele espaço, saimos para uma trilha ecológica.
Vimos a diferença na vegetação do poder de destruição nas áreas presevadas e nas degradadas.
Vimos nascentes, caramujos gigantes, e contemplamos a beleza estranha da vegetação retorcida e colorida do cerrado.
Enfim voltamos realizados por termos conseguido realizar o sonho do Aluísio,

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

1ª Caminhada Pela Qualidade de Vida

Nós, professores de Educação Física e Biologia, em parceria com ambientalistas do Parque Ecológico do Guará, estamos organizando uma caminhada e pedalada dia 04/12/2009, no turno matutino. No mural do 2º Bloco tem um cartaz divulgando o evento.
Participem!!!



segunda-feira, 23 de novembro de 2009

RACISMO É BURRICE

Sexta-feira foi o dia da Consciência Negra e tivemos na escola trabalhos de excelente qualidade apresentado pelos alunos. Eu pretendia escrever um texto aqui, mas não tive tempo,
Mas aqui vai uma música que aborda questões relacionadas ao tema:

BRINCANDO E APRENDENDO

MATÉRIA DE PROVA DO 4º BIMESTRE

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

TRABALHO PARA ALUNOS COM ATESTADO MÉDICO

TEMA: PRIMEIROS SOCORROS

Abordar:

Fraturas, entorses, luxações e contusões.
Definições.
Tipos de imobilizações.

Queimaduras
Tipos de queimaduras.
O que fazer e o que não fazer.

Sangramentos
Sangramentos internos, externos e nasais.
O que fazer e o que não fazer.

Transporte de vítimas

Data de entrega: 23/11/2009

As alunas de licença maternidade deverão também fazer o trabalho das brincadeiras regionais, publicado no blog em 04/11/2009.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

TRABALHO 4º BIMESTRE



JOGOS E BRINCADEIRAS POPULARES REGIONAIS

Pesquisar,apresentar e entregar a pesquisa de acordo com a região sorteada.
Escolher uma das brincadeiras para a turma fazer.
Valor: 3 pontos.

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Ah, a primavera!!!

A área de Educação Física, nesta época do ano, tem uma fauna especial.
Indícios que estamos na primavera e a vida se renova:
Um casal de corujas ( Léo e Bia) habita uma toca perto do galpão da capoeira.
Um casal de quero-quero ( Keka e Kiko) tem um ninho nos fundos, depois da pista de atletismo.
E um casal de gaviões ( Klaus e Hannah), que mora numa árvore próxima ao muro da escola, sempre que possível, caçam esses dois casais ou seus filhotes.
Esta semana presenciamos o primeiro passeio da família Quero-quero...
Dona Keka, Seu KiKo e os quatro filhotes ( que ainda não têm nomes ) sairam para um passeio matinal.
Com tantos alunos por perto a família QQ tentou de todas as formas expulsar qualquer um que chegasse perto dos seus quero-querinhos.
Gritos estridentes pra lá ( tantos dos alunos, quanto dos QQs)
Rasantes pra cá ( Só dos QQs).
Correria pra todo lado.
O jeito é tentar proporcionar a convivência pacífica.
Algumas dicas pra que isso ocorra:

1. Nunca (jamais, never), jogue qualquer coisa nas aves ou dentro da toca da coruja.
2. Não grite.
3. Não corra.
4. Não tente espantar o casal de QQ.
Eles são mais estressados, e sempre vão tentar afugentar qualquer um que se aproxime.
Depois de dois ou três rasantes eles vão perceber que não correm perigo se você, mesmo que sinta o ventinho das asas perto do seu rosto, se mantiver calmo.

( Para melhor visualização clique sobre a imagem)

Léo e Bia:


Bia parece dizer com o olhar:
_ E aí, não vai fazer nada pra espantar este povo?



Que olhos lindos!



Não sei se é o Kiko ou a Keka:

Piscina

Nossa piscina está assim:


Mas já foi assim:



Aproveitem!!!

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Dia do professor

Tanta coisa se diz do professor em comemoração ao seu dia...
Mas o que nos move mesmo, o que nos faz continuar, a despeito dos baixos salários, da falta de respeito, da falta de compromisso com uma educação de qualidade, é o carinho que recebemos de nossos alunos, independente do dia.
O reconhecimento de nosso trabalho por parte dos nossos alunos é o maior presente neste dia.

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Aula na Piscina

ATENÇÃO

Próxima semana aula na piscina.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

TOLERÂNCIA E PAZ

Matéria de prova:

Slides sobre Tolerância e Paz, texto e quadro comparativo sobre epidemias.


terça-feira, 1 de setembro de 2009

Dia do profissional e eucação física

-Prof. Educ. Física não come, combina: proteina + carboidrato + vitamina;
-Prof. Educ. Física não cheira, olfata;
-Prof. Educ. Física não toca, faz avaliação física;
-Prof. Educ. Física não respira, promove intercâmbio gasoso entre O2 e CO2;
-Prof. Educ. Física não elogia, descreve processos;
-Prof. Educ. Física não tem reflexos, tem mensagem neurotransmitida involuntária;
-Prof. Educ. Física não transa, Faz séries com muitas repetições;
-Prof. Educ. Física não admite algo sem resposta, analisa o hereditário;
-Prof. Educ. Física não fala, coordena vibrações nas cordas vocais;
-Prof. Educ. Física não toma susto, recebe resposta galvânica incoerente;
-Prof. Educ. Física não chora, produz secreções lacrimais;
-Prof. Educ. Física não espera retorno de chamadas, espera feedbacks;
-Prof. Educ. Física não se apaixona, sofre reações químicas no coração.
...

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Epidemias

Reportagem publicada no Correio Braziliense, em 16/ 08/2009
Gripe A é apenas a mais recente de uma série de doenças que já assolaram a humanidade.


por Diego Moraes

Enquanto especialistas e médicos discutem quantas mortes ainda serão causadas pela pandemia de gripe A (H1N1), conhecida como gripe suína, o que muita gente não sabe é que o mundo convive diariamente com epidemias silenciosas e permanentes — tais como tuberculose, malária, sarampo, pneumonia, Aids… —, responsáveis por matar uma pessoa a cada seis segundos. São 10 milhões de mortos todos os anos, principalmente em países em desenvolvimento.

A falta de investimento em ações de saneamento básico é uma das principais causas para tantos óbitos em pleno século 21. “Todas são doenças passíveis de prevenção ou tratamento. São epidemias que estão escondidas, mas fazem parte do cotidiano de muitas populações”, explica o médico-infectologista Stefan Cunha Ujvari. Autor dos livros A história e suas epidemias e A história da humanidade contada pelos vírus, ele ressalta que as pessoas estão cada vez mais expostas a vírus e bactérias. E — o mais estranho — por uma escolha voluntária.

As doenças acompanham o homem desde sua origem. Mas as epidemias começaram mesmo há cerca de 10 mil anos, quando a humanidade deixou de ser nômade para viver da agricultura e da domesticação de animais. O contato com micro-organismos que habitavam esses bichos deu origem a enfermidades que seus donos não estavam devidamente preparados para suportar. A primeira grande epidemia de que se tem notícia foi a Peste de Atenas. Mas a Peste Negra, no século 14, tornou-se a mais fatal. “As condições sanitárias eram péssimas e ninguém tinha ideia do que causava a doença”, destaca Joffre Rezende, da Sociedade Brasileira de História da Medicina.

O crescimento populacional e o hábito de domesticar animais, além da facilidade de transitar pelos diferentes continentes, fazem com que os micro-organismos se multipliquem em velocidade sem precedentes. O resultado é um emaranhado de mutações que migram dos bichos para os homens. “Vivemos uma era de aumento do número de animais domesticados no mundo todo, o que pode ter ocasionado a disseminação de novos vírus”, explica o Ujvari.

A própria gripe A é um exemplo disso. O vírus H1N1 surgiu com a gripe espanhola e foi passado de homens para porcos na América do Norte. Na década passada, percebeu-se que o organismo dos suínos passou a misturá-lo com vírus de aves e também de porcos da Europa. A gripe aviária, de 2003, também foi resultado do contato de homens com aves domesticadas.

O avanço populacional em direção às florestas também contribui para acelerar esse processo. Prova disso é a recente epidemia de Sars, sigla inglesa para Síndrome Respiratóia Aguda Grave, cujo agente causador tem semelhança com um vírus encontrado num gato selvagem, apreciado como iguaria por caçadores, no sudeste asiático. A doença contaminou 8 mil pessoas e matou 774. E a expectativa é que mais vírus apareçam no mundo, com mutações ainda mais aceleradas.

Peste de Atenas
Foi a primeira grande epidemia sobre a qual há registros. Em 430 a.C. uma doença misteriosa vitimou cerca de 30% da população de Atenas, justamente no início da batalha do Peloponeso, quando a cidade estava em confronto com Esparta. O historiador Tucidides descreveu, à época, em seu livro A Guerra do Peloponeso, aquela estranha enfermidade da qual também foi vítima: “O calor intenso era tão pronunciado que o contato da roupa se tornava intolerável. Os doentes ficavam despidos e somente desejavam atirar-se na água fria. (…) A maior parte morria ao cabo de 7 a 9 dias consumida pelo fogo interior. Nos que ultrapassavam aquele termo, o mal descia aos intestinos, provocando ulcerações acompanhadas de diarreia rebelde que os levava à morte por debilidade”.

O confronto entre as duas cidades contribuiu para agravar a epidemia. “Todos os moradores estavam aglutinados, dentro dos muros de Atenas”, explica o infectologista Stefan Ujvari. Segundo o expert, a causa de tantas mortes permaneceu desconhecida até o início desta década, quando pesquisadores encontraram corpos enterrados na região e, ao estudar a polpa dos dentes dos cadáveres, encontraram DNA da febre tifoide.

Peste de Antonina
Surgiu no século 2 d.C. e matou quase um terço da população de Roma. Depois, espalhou-se pela Itália e também pela região da Gália, onde hoje é a França. Foi assim batizada em alusão ao Imperador Marco Aurélio, que estava no poder na época e era da linhagem dos antoninos. Ele mesmo acabou morto pela peste, no ano 180. Como relatou o médico grego Claudio Galeno, a doença causava “ardor inflamatório nos olhos, aversão a alimentos, sede inextinguível, inflamação da mucosa, vômitos de matérias biliosas, gangrenas parciais e fetidez do hálito” nos contaminados.

Também conhecida como Peste dos Antonios, durou cerca de 15 anos. No auge dela, quase 2 mil pessoas morriam por dia em Roma, sufocadas pelos sintomas da doença. Conforme os relatos de Galeno, contemporâneo da epidemia, os pacientes também alternavam delírios tranquilos e furiosos. O desfecho era “funesto do sétimo ao nono dia”.

Peste Negra
Foi a mais trágica epidemia da história da humanidade, considerada por muitos como um castigo divino. Recebeu esse nome devido às manchas escuras que apareciam na pele dos acamados. As condições sanitárias precárias do século 14 contribuíram para o flagelo sem paralelos até hoje. “Cerca de 30% a 40% da população da Europa foi dizimada e teve repercussão em todos os setores da atividade humana — econômico, agrário. Famílias inteiras desapareceram”, descreve o professor da Univesidade Federal de Goiás Joffre Rezende.

Também conhecida como Peste Bubônica, surgiu na Ásia e causou a morte de 5 milhões na Mongólia e no norte da China apenas no ano de 1334. Foi parar na Europa levada por navios mercantes. Os homens da época não conheciam vírus e bactérias e, sem saber que a doença era causada pela pulga dos ratos, fantasiavam teorias. Doentes foram jogados na fogueira. Famílias se isolaram nos campos. E até os judeus foram perseguidos como possíveis responsáveis pela moléstia. “Nenhuma prevenção foi válida, nem valeu a pena qualquer providência dos homens (…) Na virilha ou nas axilas, algumas inchações. Algumas destas cresciam como maçãs, outras como um ovo”, descreveu Giovanni Bocaccio, no livro Decamerão.

Varíola, sarampo e gripe
Com o avanço das navegações e a descoberta da América, batizada na época de “Novo Mundo”, os europeus importaram epidemias para os pré-colombianos. O sarampo, a gripe e a varíola mataram juntos, ao longo de quatro séculos, mais da metade da população que habitava o continente. A varíola acometeu inicialmente os povos do México, contaminados pelos espanhóis. Mas chegou também ao Brasil pelo litoral da Bahia, se espalhou pelo interior até chegar ao Rio da Prata, atingindo também os índios do Paraguai.

No início do século 20, a varíola foi o pano de fundo para resistência popular que ficou conhecida como “Revolta da Vacina”, ocorrida entre 10 e 16 de novembro de 1904, no Rio de Janeiro. Em meio aos problemas sanitários que a cidade tinha na época, o sanitarista Oswaldo Cruz convenceu os legisladores a aprovar uma lei que obrigava a vacinação contra a varíola. A população se rebelou e a cidade viveu um clima de guerra, com pelo menos 50 mortos e mais de cem feridos.

Gripe espanhola
Uma das mais importantes pandemias causadas por vírus até hoje, levou à morte entre 20 milhões e 40 milhões de pessoas — cerca de metade da população mundial — entre 1918 e 1919. Apesar do nome, especialistas ainda divergem sobre o local onde a gripe se originou. Os primeiros casos da doença foram identificados nos Estados Unidos em março de 1918. A doença chegou à Europa provavelmente em abril, levada por tropas francesas, britânicas e norte-americanas. No Brasil, a doença matou mais de 300 mil pessoas, entre elas o médium espírita Eurípedes Barsanulfo.

O vírus da gripe espanhola era o H1N1, que o homem transmitiu para porcos criados em fazendas na América do Norte, dando origem ao vírus da gripe suína. Os suínos são uma espécie de “tubos de ensaio para vírus”, capazes de misturar tipos que infectam outros animais e facilitar a mutação deles. A atual pandemia de gripe é causada pelo A H1N1, um novo tipo derivado do vírus que adoece os porcos. “Agora, o porco está devolvendo, totalmente misturado, o vírus da gripe espanhola que herdou do homem. Mas é um vírus completamente recombinado, que é transmitido apenas entre humanos”, explica o infectologista Stefan Ujvari.
Atividade:
Fazer um quadro comparativo com os itens:
1. Nome da epidemia
2. Local
3. Época
4. Sintomas
5. Celebridades acometidas pela doença.

Caso alguma informação não esteja disponível no texto, pesquisar em outras fontes.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

TRABALHO

Trabalho para alunos com atestado médico:

Tema: Handebol
- Principais regras
- Qualidades físicas desenvolvidas com a modalidade
- Histórico do handebol
- Principais títulos

quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Trabalho de Educação Física e Múltiplas linguagens

EXPRESSÃO CORPORAL

TEMA: ASTRONOMIA E EVOLUÇÃO

Desenvolver o tema através de:
* Dança
* Teatro
* Mímica
* Performace
* Etc.
Data da apresentação: 31/08 à 03/09/2009
Valor: 2,0 pontos
Nº de participantes de 05 à 08 participantes.
Tempo máximo: 7 minutos.
Música: livre escolha.

domingo, 12 de julho de 2009

Corrida de rua




Hoje participei da Run Day Brasília.
Estava treinando desde março para participar de algumas provas de corrida de rua que acontecem aqui em Brasília, mas sempre acontecia alguma coisa que impossibilitava minha participação.
A prova estava marcada pra 7:30, mas 4:00 hs da manhã acordei e não consegui dormir mais. Ou por ansiedade pela corrida ou porque minha amiga insônia tem me visitado frequentemente nas últimas semanas.
Cheguei ao local da prova com uma hora de antecedência e foi possível ver o sol nascendo na Esplanada.
Com esse friozinho que tem feito de madrugada o sol tem andado muito preguiçoso e anda dormindo até mais tarde.
Na hora da largada bateu aquele receio de não conseguir completar o percurso, mas segui em frente. Saímos próximo do Congresso Nacional, seguimos pela L2 e quando chegamos na entrada da UNB os corredores se dividiram, quem iria participar da Meia Maratona e da Maratona entraram na UNB, e quem iria participar da corrida de 8,5 Km ( que é o meu caso) seguiu em frente, em direção ao Iate Clube.
Até aqui tudo bem, de vez em quando eu ultrapassava alguns competidores, outros me ultrapassavam. Aqui e ali alguns iam deixando de correr e continuando na caminhada. Do Iate até a Vila Planalto é uma descida boa, mas quando acaba a descida, tem uma subida longa, passando por cima do viaduto, que parecia que não acabava nunca. Nesta hora achei que não conseguiria fazer toda a subida correndo.
Vencido este trecho, já imaginava como seria a subida que vai do Palácio do Planalto até o Congresso Nacional que apesar de curta é bem íngreme.
Pra complicar, este trecho fica justamente nos últimos 300 metros quando o cansaço já bateu.
Quando a subida do Congresso termina e a plataforma de chegada aparece, a sensação é de ter avistado um oasis no deserto.
No trecho final a vontade é de acelerar, mas por mais que o cérebro dê esta ordem, as pernas não obedecem. Nos últimos 50 mts ainda consigo ultrapassar dois competidores, mas nos três últimos passos um casal de vovozinhos passam acelerados por mim. Só não fico arrasada porque acabo de passar pela linha de chegada da minha primeira prova de corrida de rua e a sensação é maravilhosa!!!

Aqui o mapa do percurso (clique na figura para ampliar):

segunda-feira, 29 de junho de 2009

VIDA SUSTENTÁVEL




Esta pergunta foi a vencedora em um congresso sobre vida sustentável.

"Todo mundo 'pensando' em deixar um planeta melhor para nossos filhos... Quando é que 'pensarão' em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"


Uma criança que aprende o respeito e a honra dentro de casa e recebe o exemplo vindo de seus pais, torna-se um adulto comprometido em todos os aspectos, inclusive em respeitar o planeta onde vive...

quinta-feira, 25 de junho de 2009

GASTO CALÓRICO

Para quem não sabe, até dormindo ou tomando banho de sol gastamos algumas calorias.
Para que você conheça o gasto calórico aproximado de algumas atividades, aqui vai uma tabela com algumas atividades físicas e outras cotidianas. Esta tabela é baseada numa pessoa de 60 kg de peso corporal, num tempo de 30 minutos:


Alongamento 90
Amamentar 54
Andar a cavalo 81
Andar de Patins 196
Andar de bicicleta 126
Andar acelerado 276
Andar na esteira elétrica 156
Andar rápido na esteira elétrica 270
Andar em areia dura 160
Andar em areia fofa 190
Andar na areia molhada, que afunda 195
Andar no mar com água nas canelas 140
Arrumar a cama 66
Arrumar a mala 60
Arrumar o Armário 80
Assistir televisão 41
Aula de circuito 339
Bater a tecla do computador 48
Bater palmas 50
Bater Papo no telefone 55
Beber água 40
Beijar 30
Bicicleta ergométrica 250
Body Combat 300
Body Pump 190
Cantar 55
Correr a 12 km/h 445
Correr em terreno plano 310
Correr em terreno irregular 330
Correr em areia fofa 370
Correr na subida 400
Cozinhar 90
Dançar 200
Dormir 30
Dirigir o carro 80
Elíptico 250
Empurrar um carrinho de bebe 80
Escovar os dentes 40
Ginástica aeróbica 200
Ginástica localizada 130
Ginástica Olímpica 210
Musculação Puxada 240
Musculação Leve 260
Hidroginástica 150
Ioga 50
Jogar basquete 280
Jogar Futebol 330
Jogar Handebol 300
Jogar Vídeo Game 50
Jogar Vôlei de Quadra 105
Ler 50
Lutar capoeira 270
Lutar Karatê 290
Lutar Jiu-Jitsu 280
Lutar judô 285
Lutar Tae Kwon Do 280
Nadar 255
Pular Corda 220
Sexo 280
Spinning 400
Step 315
Subir escadas 310
Tocar Bateria 115
Tomar sol 35

quarta-feira, 24 de junho de 2009

MODERNIDADE E QUALIDADE DE VIDA

Matéria da prova: Modernidade e qualidade de vida.
Esta apresentação aborda a maneira como a evolução tecnológia influencia negativamente no consumismo, no sedentarismo e na degradação ambiental, e como podemos melhorar nossa qualidade de vida através da prática regular de atividade física.



O filme WALL.E, foi exibido para as turmas de Múltiplas Lnguagens e aborda muitos assuntos relacionados as matérias da prova. Abaixo a sinopse:
WALL·E é o nono longa-metragem de animação da Pixar, dirigido por Andrew Stanton, que dirigiu anteriormente Procurando Nemo. O filme é protagonizado pelo robô WALL·E, que foi deixado no poluído planeta Terra, 700 anos atrás, no futuro, enquanto a população mundial se translada temporariamente para uma nave no espaço, a Axiom. Ele eventualmente se apaixona por uma robô de traço feminino, EVA, enviada pela Axiom para sondar as condições do planeta, seguindo-a pelo espaço quando esta retorna à nave. WALL·E estreou mundialmente em 27 de Junho de 2008.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Trabalho para alunos com atestado médico

Atividade física para pessoas com problemas respiratórios

Pesquisar as principais patologias.
Descrever as atividades indicadas para cada caso.
Citar pesquisar científicas publicadas com melhoras na capacidade respiratória.

Trabalho de dança
Aos alunos que não apresentarem a dança por possuir atestado médico:

*Escolher uma região do Brasil
*Pesquisar as danças destas região

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Trabalho do 2º Bimestre




MANIFESTAÇÕES CULTURAIS ATRAVÉS DA MÚSICA E DANÇA

* Escolher uma dança regional;
* Pesquisar características culturais da dança escolhida para um breve relato antes da apresentação;
* Providenciar figurino e cenário de acordo com a dança escolhida;
* Apresentação: Semana de 22 à 26/06/2009.

quarta-feira, 13 de maio de 2009

VÍDEO DO 2º F

video

Com a música Palavras repetidas de Gabriel O Pensador:

A Terra tá soterrada de violência
de guerra, de sofrimento, de desespero
a gente tá vendo tudo, tá vendo a gente
tá vendo, no nosso espelho, na nossa frente
tá vendo, na nossa frente, aberração
tá vendo, tá sendo visto, querendo ou não
tá vendo, no fim do túnel, escuridão
tá vendo no fim do túnel escuridão
tá vendo a nossa morte anunciada
tá vendo a nossa vida valendo nada
tô vendo, chovendo sangue no meu jardim
tá lindo o sol caindo, que nem granada
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá vindo um carro-bomba na contramão
tá vindo o suicida na direção

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
porque se você parar pra pensar a verdade não há"

A bomba tá explodindo na nossa mão
o medo tá estampado na nossa cara
o erro tá confirmado, tá tudo errado
o jogo dos sete erros, que nunca pára
7, 8, 9, 10... cem
erros meus, erros seus e de Deus também
estupidez, um erro simplório
a bola da vez, enterro, velório
perda total, por todos os lados
do banco do ônibus ao carro importado
teu filho morreu? meu filho também
morreu assaltando, morreu assaltado
tristeza, saudade, por todos os lados
tortura covarde, humilha e destrói
eu vejo um Bin Laden em cada favela
herói da miséria, vilão exemplar
tortura covarde, por todos os lados
tristeza, saudade, humilha e destrói
as balas invadem a minha janela
eu tava dormindo, tentando sonhar

"É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã
porque se você parar pra pensar a verdade não há"

Sou um grão de areia no olho do furacão
em meio a milhões de grãos
cada um na sua busca, cada bússola num coração
cada um lê de uma forma o mesmo ponto de interrogação
nem sempre se pode ter fé
quando o chão desaparece embaixo do seu pé
acreditando na chance de ser feliz
eterna cicatriz
eterno aprendiz das escolhas que fiz
sem amor, eu nada seria
ainda que eu falasse a língua de todas as etnias
de todas as falanges, e facções
ainda que eu gritasse o grito de todas as Legiões
palavras repetidas
mas quais são as palavras que eu mais quero repetir na vida?
Felicidade, Paz, fé...
Felicidade, Paz, Sorte
nem sempre se pode ter Fé, mas nem sempre
a fraqueza que se sente quer dizer que a gente não é forte.

EDUCAÇÃO E CULTURA

Esta semana fui elogiada por ser uma pessoa inteligente e culta. Me senti envaidecida, claro, mas depois de ouvir estes elogios começei a refletir sobre educação e cultura na vida de um professor:
Faço parte de um seleto grupo da populaçao brasileira que tem acesso à tecnologia, informação e cultura. Pensando por este lado realmente estou acima da média.
Por outro lado no Brasil ainda existem diversos lugares onde existem professores que não possuem sequer um nível superior, que não leêm, que não assistem bons filmes, que não têm acesso à jornais, revistas, internet. Alguns por falta de interesse, é verdade, outros porque na hora do "arrocho" estes são os primeiros "supérfluos" a serem cortados.
Sempre que posso assino jornais e revista e sempre que as coisas apertam financeiramente o primeiro superfuo a ser cortado são as assinaturas.
Me sinto previlegiada em trabalhar numa das melhores escolas públicas de Brasília.
Estamos em 3º lugar no ENEM, se considerar-mos que em 1º e 2º estão estão o Colégio Militar de Brasília e e Colégio Militar Dom Pedro II que de público não têm nada. E em primeiro lugar se considerarmos apenas as escolas do Guará.
Convivo diariamente com professores capacitados e engajados em uma luta com objetivo de oferecer um ensino público de qualidade. Professores que na sua maioria possuem, além da gradução, uma ou várias pós, alguns com mestrado.
Pensando por este lado ser culta, inteligente e intelectual é uma coisa normal pra mim. Não estou com isso querendo desmerecer meu elogio, muito menos me subestimar. Nem quero dizer que ser culto é uma característica inerente ao professor. Embora credite que deveria ser.
Incomum é estar acima ou abaixo desta média.
Incomum é não querer inovar, progredir, se capacitar.
Percebe-se claramente na convivência diária e nas relações inter-pessoais que pessoas cultas e inteligentes formam seus vínculos de amizades. Na sala dos professores, no intervalo, por exemplo pode-se notar grupo de professores comentando sobre livros, filmes, as últimas notícias, enquanto outros comentam as últimas fofocas ou cenas da novela. Nada contra, apenas acho que não deve ser só isto. Que devemos estar em constante busca de aprimoramento.
O mundo está em constante mudança e nós professores precisamos acompanhar as inovações pra não perdermos o fio da história.
Com criatividade podemos nos engajar neste mundo tecnológico que com certeza muitos de nossos alunos dominam melhor que nós. Prova disso são os vídeos elaborados por eles, postados neste blog.

quinta-feira, 7 de maio de 2009

Exercitando também o cérebro

Fixe seus olhos no texto abaixo e deixe que a sua mente leia corretamente o que está escrito:

35T3 P3QU3N0 T3XTO 53RV3 4P3N45 P4R4 M05TR4R COMO NO554 C4B3Ç4CONS3GU3 F4Z3R CO1545 1MPR3551ON4ANT35! R3P4R3 N155O! NO COM3ÇO 35T4V4M310 COMPL1C4DO, M45 N3ST4 L1NH4 SU4 M3NT3 V41 D3C1FR4NDO O CÓD1GOQU453 4UTOM4T1C4M3NT3, S3M PR3C1S4R P3N54R MU1TO, C3RTO? POD3 F1C4R B3M ORGULHO5O D155O! SU4 C4P4C1D4D3 M3R3C3! P4R4BÉN5!

Muito legal!!!!!!> > > >

Peguei emprestado aqui: http://compartilhandosaberes.blogspot.com/

Atestado Médico

Para os alunos que possuem atestado médico dispensando da prática de Educação Física:

Título: Futsal
Abordar os tópicos:
-Histórico do Futsal
-Principais regras
-Sistemas técnicos e táticos
-Qualidades físicas presentes na modalidade
-A mídia no esporte
-Curiosidades

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Fim da greve

Depois de 16 dias lutando por nosso direito de uma educação pública de qualidade com salários compatível estamos de volta...

quarta-feira, 8 de abril de 2009

vídeo do 1º A



Com a música Bala perdida de Gabriel Pensador:

Bom dia, mulher
Me beija, me abraça, me passa o café
E me deseja "Boa sorte"
Que seja o que Deus quiser
Porque eu tô indo pro trabalho com medo da morte
Nessas horas eu queria ter um carro-forte
Pra poder sair de casa de cabeça erguida
E não ser encontrado por uma bala perdida
Querida, eu sei que você me ama
Mas agora não reclama, eu tenho que ir
Não se esqueça de botar as crianças debaixo da cama na hora de dormir
Fica longe da janela e não abre essa porta, não importa o motivo
Por favor, meu amor, eu não quero encontrar você morta se eu voltar pra casa vivo
Mas se eu não voltar não precisa chorar
Porque levar uma bala perdida hoje em dia é normal
Bem mais comum do que morte natural
Nem dá mais capa de jornal
Tchau! Se eu demorar, não precisa me esperar pra jantar
E pode começar a rezar
Pra variar estamos em guerra
Pra variar...
Quem tá na chuva é pra se molhar
Quem brinca com fogo pode se queimar
Mas eu num quero ser mais um nas estatísticas
Num quero que meu corpo vire atração turística
Ensangüentado, vítima de um crime sem culpado, encaminhado prum exame de balística
Todo dia morrem dois ou três
Eu só quero saber quando vai ser a minha vez
Onde será?
No circo, na praia, no supermercado, na mesa do bar?
Ou na fila do banco?
No trem da central?
No ponto de ônibus?
Parado no sinal?
Ou assistindo TV, na segurança do lar?
Onde será que uma bala perdida vai me achar?
Se eu pudesse escolher eu morreria dormindo sem sentir muita dor
Eu sei que eu ainda sou muito novo pra morrer mas outro dia esse desejo quase se realizou:
Uma bala de fuzil se perdeu num tiroteio e veio parar no meio do meu travesseiro
Só não me acertou em cheio porque eu tava com prisão de ventre, no banheiro
Atualmente eu já me deito esperando o pior
E pra facilitar eu já durmo de paletó
Meu caixão também tá pronto atrás da porta, enrolado com a bandeira do Brasil
E quando eu sonho com o futuro eu acordo inseguro
Escutando mais um tiro de fuzil
Pra variar estamos em guerra
Pra variar...
Eu sou uma bala perdida, uma bala desgraçada
Inofensiva, feito uma criança abandonada
Eu estou sendo injustiçada
Não sou culpada
Se eu tô aqui é porque eu fui disparada
Eu não queria entrar na arma mas o dedo foi mais forte
O dedo me pôs na arma, puxou o gatilho, então porque que eu sou responsabilizada pela morte?
Eu gostaria de ser uma bala de mel
Feita com amor, embrulhada num papel
Mas vocês me fizeram pra acabar com a vida
Desde que eu nasci eu sou uma bala perdida
Eu sempre fui perdida, por natureza
Até num suicídio ou em legítima defesa
A maioria ainda nem percebeu:
Vocês tão muito mais perdidos do que eu.
Pra variar estamos em guerra
Pra variar...

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Vídeo realizado por alunos do 1º C

video

Vídeo realizado por alunas do 2º B

video

DIVULGAÇÃO DE TRABALHOS INTERESSANTES

Alguns trabalhos ficaram excelentes!
Parabéns!!!
Estou orgulhosa de vocês!!!
Pena que alguns que foram apresentados em sala não poderão ser divulgados pois não filmamos.
Os bons e ótimos serão publicados aqui.
Os outros... Bom, quem sabe da próxima vez???

O impacto de uma bala

Vídeo de uma campanha em favor do desarmamento. Muito legal!

video



A frase que aparece na última cena e não dá pra ver porque está muito pequena:

Stop the bullets. Kill the gun.

quinta-feira, 26 de março de 2009

Jogos cooperativos

Para Jogar uns Com os Outros e Ven Ser… Juntos !!

FÁBIO OTUZI BROTTO (*)

Os Jogos Cooperativos surgiram da preocupação com a excessiva valorização que a sociedade moderna atribui à competição.
Temos competido em lugares, com pessoas, em momentos que não deveríamos, como se essa fosse a única opção.
Ao contrário de ser uma característica única e inerente à espécie humana, a competição e a cooperação, são valores culturais, ou seja, são valores e atitudes construídas pela educação formal e informal.
De acordo com Terry Orlick, nós não ensinamos nossas crianças a terem prazer em buscar o conhecimento, nós as ensinamos a se esforçarem para conseguir notas altas. Da mesma forma, não as ensinamos a gostar dos esportes, nós as ensinamos a vencer jogos.
A hipervalorização da competição se manifesta nos jogos através da ênfase no resultado numérico e na vitória. Os jogos tornaram-se rígidos e organizados, dando a ilusão que só existe uma maneira de jogar.
Os Jogos em sua maioria são verdadeiros campos de batalha capazes de eliminar a diversão e a pura alegria de jogar. Estruturados para a eliminação de pessoas e para produzir mais perdedores do que vencedores, muitos jogos tornaram-se um espaço para tensão, derrota, ilusão de ser melhor ou pior que alguém e para sentimentos como raiva, medo, frustração, fracasso, rejeição, e animosidade.
Se fizermos um balanço de nossas experiências de jogar, na escola ou fora dela, verificamos que pendem muito para o lado dos Jogos Competitivos. Nem sempre os programas de Educação Física, Esporte ou Recreação dão ênfase a atividades que promovam interações positivas, colaborando para que a competição deixe de ser um comportamento condicionado, oportunizando a percepção e o exercício de outras formas de nos relacionarmos com as pessoas, com a natureza e com a gente mesmo.
Os Jogos Cooperativos são jogos com uma estrutura alternativa onde os participantes jogam COM o outro, e não contra o outro. Joga-se para superar desafios e não para derrotar os outros; joga-se para se gostar do jogo e pelo prazer de jogar. São jogos onde o esforço cooperativo é necessário para se atingir um objetivo comum e não para fins mutuamente exclusivos.
Tomados como um processo, pode-se aprender a considerar o outro, a ter consciência dos seus sentimentos e a operar para interesses mútuos.
Estes Jogos são estruturados para diminuir a pressão para competir e a necessidade de comportamentos destrutivos, para promover a interação e a participação de todos, e deixar aflorar a espontaneidade e a alegria de jogar.
Os Jogos Cooperativos são jogos de compartilhar, unir pessoas, jogos que eliminam o medo do fracasso e que reforçam a confiança em si mesmo e nos outros. Todos podem ganhar e ninguém precisa perder.
Dessa forma os Jogos Cooperativos resultam no envolvimento total, em sentimentos de aceitação e vontade de continuar jogando.
Em geral, tivemos poucas chances de participar de Jogos Cooperativos de uma forma sistematizada. Por isso é importante desenvolver uma PEDAGOGIA DA COOPERAÇÃO.
Aprendendo a jogar cooperativamente podemos descobrir inúmeras possibilidades criar processos facilitadores da participação e inclusão.
Através da modificação gradativa das regras e estruturas básicas do jogo, podemos criar um clima de aceitação mútua entre os jovens praticantes, incentivando-os a refletir sobre as possibilidades de transformação do jogo, na perspectiva de melhorar a participação, o prazer e a aprendizagem de todos. Além disso, uma Pedagogia da Cooperação pode ajudá-los a dialogar, a decidir em consenso e a praticar as mudanças desejadas.
Exercitando a reflexão criativa, a comunicação sincera e a tomada de decisão por consenso para aprimorar o jogo, as crianças e jovens - e nós, educadores, também - poderão descobrir que têm plenas condições de intervir positivamente na construção, transformação e emancipação de si mesmos e da comunidade onde convivem.
Todo tipo de Jogo tem uma intenção que ultrapassa os limites do campo e da quadra. Assim, é importante perceber quais os valores que estão por trás dos jogos e a que tipo de propósitos as atividades estão servindo.
Além de conhecer o Jogo é preciso reconhecer ao que e a quem ele serve. O propósito essencial dos Jogos Cooperativos é colaborar para a construção de um mundo melhor para todos… sem exceções, onde “se o importante é competir, o fundamental é cooperar.”1 Jogando dentro desse Estilo Cooperativo podemos desfazer a ilusão de sermos separados e isolados uns dos outros e percebermos o quanto é bom e importante ser a gente mesmo, respeitar a singularidade e JOGAR PARA VenSer… JUNTOS!

* Fábio Otuzi Brotto, 1997.

Vencer sim, mas não sozinho

Um exemplo de cooperação:


quinta-feira, 19 de março de 2009

BOMBADOS E BRAVOS

REPORTAGEM PUBLICADA NO CORREIO BRAZILIENSE EM 14/03/2009.

Estudo inédito mostra que anabolizantes causam alterações cerebrais drásticas

Renata Mariz - Correio Braziliense

Impotência, calvície, tumores no fígado e problemas do coração não são os únicos malefícios da utilização de anabolizantes por pessoas sadias. Pesquisa inédita realizada na Universidade de São Paulo (USP) mostra que os usuários de esteroides correm grande risco de se tornarem pessoas agressivas e impulsivas. O estudo detectou que a “bomba” causa alterações cerebrais drásticas, reduzindo a quantidade de proteínas que funcionam como neuroreceptores de serotonina, substância relacionada às emoções. Dois grupos de camundongos foram utilizados como cobaias no experimento.

O primeiro grupo, formado por 10 animais, tomou injeções do anabolizante nandrolona, mais conhecido no mercado por deca-durabolin, por 28 dias. Outros 10 camundongos receberam placebo (injeções sem qualquer produto real) para servirem de controle. Além de terem ficado mais pesados, os roedores anabolizados mostraram alterações consideráveis em testes comportamentais. Um deles é o labirinto em cruz elevado, que analisa a ansiedade e o medo. “A tendência dos animais que receberam o esteroide foi explorar mais as hastes da cruz que têm paredes e, portanto, oferecem alguma proteção”, afirma Silvana Chiavegatto, professora do Instituto de Ciências Biomédicas da USP que orientou a pesquisa.

Um outro teste muito importante, de acordo com ela, é chamado de residente-intruso. Consiste em colocar outro animal junto do roedor para analisar o nível de agressividade e impulsividade. “É normal no camundongo esse sentimento de territorialidade. Se fica muito tempo sozinho dentro de uma gaiola, ele se sente dono do local. Esse modelo é utilizado para verificar em quanto tempo ele ataca o intruso”, explica Silvana. No caso dos anabolizados, a média de tempo para iniciarem a briga foi de 400 segundos, enquanto o outro grupo demorou 700 segundos.

Ataque
Cerca de 75% dos camundongos que receberam a injeção de esteroides atacaram o intruso nos primeiros 15 minutos. No outro grupo, o índice foi de 30%. “A agressividade verificada por todos os testes que fizemos é do tipo impulsiva, está relacionada a atos praticados sem muita racionalidade”, destaca Silvana. De acordo com ela, o tal comportamento está ligado a uma quantidade reduzida de proteínas que funcionam dentro do cérebro como receptores de serotonina, já identificada pela ciência como uma substância ligada estreitamente ao controle das emoções.

“Quando esses receptores não existem, a pessoa pode até ter um nível adequado de serotonina, mas ela não será transmitida entre os neurônios”, explica a professora. A queda no nível de sete proteínas que funcionam como receptores variou entre 37% e 66% no cérebro dos camundongos anabolizados, em relação ao grupo controle. As regiões analisadas da massa cerebral foram o hipocampo, hipotálamo, córtex pré-frontal e amígdala. Essas duas últimas relacionam-se diretamente com comportamentos inapropriados e controle das emoções.

Semelhanças
Segundo Silvana, os camundongos dão um bom indício do que ocorre com humanos. “Ambos têm sistemas emocionais semelhantes. Os medicamentos para uso psiquiátrico são inclusive testados primeiro em roedores antes de passarem para a fase clínica de pesquisa”, ressalta Silvana. Para a professora, o experimento mostra que os usuários de anabolizantes atribuem erroneamente uma desinibição social ao fato de estarem se sentindo melhor com o próprio corpo.

“Ou seja, enquanto eles pensam que ficaram mais corajosos, impulsivos e desembaraçados por conta do aumento da autoestima em função da massa muscular que ganharam, cientificamente podemos pensar que o comportamento é um reflexo químico da droga que eles estão usando. Muita gente relata mesmo que, assim que começa a tomar esteroides, se sente o dono do mundo”, afirma Silvana.

A professora afirma que o próximo passo será verificar a permanência das alterações da nandrolona nos neuroreceptores do usuário. “Queremos saber se, uma vez administrado o esteroide, o cérebro adquire as transformações ou, quando para de receber a substância, ele volta a ser o que era antes”, explica Silvana. Na opinião dela, é mais provável que as mudanças se mantenham apenas no período em que a pessoa faz uso do anabolizante. “Trabalho com essa hipótese devido à plasticidade do cérebro, sua capacidade de se adaptar”, diz.

quarta-feira, 18 de março de 2009

Geração Coca Cola

Qual a sua geração?
A que vai mudar o mundo?
A que vai queimar índio em parada de onibus?
A que vai fazer a diferença?
A escolha é sua.
Invente. Tente!!!!


Quem são voces???

As turmas que quiserem ver sua fotos postadas aqui, me procurem nos horários de coordenação, às 2ª, 4ª e 5ª de 14:00 às 16:00 Hs.

Mostrem-se.





2º B









Projeto Veredas


2º F

quinta-feira, 12 de março de 2009

Trabalho de Múltiplas Linguagens

Criar um portifólio de impressões pessoais semanalmente, a partir de 19/02, com descrição e ilustração de fatos que julgar interessante durante a semana.

Trabalho de Educação Física e Múltiplas Linguagens

Baseado na apresentação de Violência Urbana, explorar o tema através expressão corporal, dramatização, exposição de paineis, edição de vídeos e slides.
Data de apresentação e exposições:
Turmas de Múltiplas Linguagens: 26/03/09
Turmas de Educação Física:30/03 à 03/04/09.

Violência Urbana

A apresentação abaixo é matéria de prova de Educação Física e base para o trabalho de Múltiplas Linguagens.


segunda-feira, 9 de março de 2009

Nós mulheres somos DEMAAAAIS!!!!!

Em comemoração ao dia internacional de mulher.
Somos demais porque:

Não broxamos.

Não ficamos carecas.

Temos um dia internacional.

Podemos sentar de pernas cruzadas, porque não dói.

Podemos usar tanto rosa quanto azul.

Temos prioridades

A idade não atrapalha nosso desempenho sexual.

Se somos traídas somos vítimas, se traímos eles são cornos.

Sempre sabemos que o filho é nosso.

Não pagamos a conta, no máximo rachamos.

Esposa de embaixador é embaixatriz, marido de embaixatriz não é nada.

E por último: fazemos TUDO que um homem pode fazer só que com um detalhe:

De Salto Alto (:

sexta-feira, 6 de março de 2009

Filtro solar

Todo mundo reclama dos conselhos, mas nem por isso vou deixar de dar o meu: Usem filtro solar, prestem atenção nas mensagens contidas neste vídeo, apreciem a música e as imagens porque vale a pena.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Inove 2009

Estamos iniciando mais um ano.
Com ele idéias, projetos novos e a esperança que seja melhor que o anterior.